Sobre mim

P1150138

O que posso oferecer?

 

Curiosidade, empatia, amor pelo trabalho e um pouco de preocupação

Pode parecer estranho, uma vez que nada disto está à primeira vista relacionado com tradução, mas esta mistura de ingredientes irá assegurar a excelência de cada tradução que entrego – o seu público-alvo germanófilo nem será capaz de detetar que o texto que acabou de ler era um texto traduzido (a menos, obviamente, que escolha divulgar essa informação).

Porque é que estas qualidades são tão importantes na escolha do tradutor?

Curiosidade

Costuma-se dizer que a curiosidade matou o gato, mas esse ditado não se aplica aos tradutores. Sabe o que se passa na zona húmida de uma máquina de papel? Sabe como é possível garantir que o sistema de abastecimento de água de um hotel não é infetado por bactérias? São estas as coisas que fazem parte do meu trabalho e é com paixão que as investigo antes de iniciar uma tradução que lide com um tópico deste género. Poderá perguntar: mas está tudo no texto a traduzir, não está? Porque é que não pode simplesmente traduzi-lo?

A busca terminológica pode ser uma ciência complicada e a tradução de um único termo está dependente do contexto ou do sector de atividade – a palavra “vara” pode ser traduzida como “Stange”, “Stock”, “Herde” ou “Bezirk”, consoante o contexto; “feixe” pode ser traduzida como “Lichtbündel” no sector da Física e como “Nervenstrang” ou “Nervenstrang” na medicina. Em qualquer dos casos, uma parte muito importante do meu trabalho enquanto tradutora é realizar uma pesquisa terminológica extensa.

O Google tradutor e outras aplicações de tradução automática (bem como os tradutores humanos de má qualidade) não estabelecem uma distinção entre contextos diferentes ou âmbitos de especialidade. Ambos optam apenas pela tradução mais frequente de uma palavra, ou escolhem a primeira entrada de um dicionário. O resultado final é uma tradução completamente incompreensível e, no pior dos casos, embaraçosa.

Empatia

Pode parecer uma qualidade mais apropriada a alguém que gere uma instituição de caridade, mas a capacidade de perceber os sentimentos e os pensamentos de outrem é uma das bases para uma boa comunicação. E, em última análise, a tradução é um ato de comunicação.

Quando precisa de traduzir um documento, sabe que esse documento é dirigido a um certo público-alvo – e este público espera ser interpelado de determinada forma. Só alguém com fluência linguística e cultural na língua de partida consegue assinalar as várias nuances presentes no documento e só um bom escritor pode elaborar um texto que reproduza de essas nuances de forma precisa e adequada ao público-alvo. Um bom tradutor tem de combinar estas duas competências para forjar uma tradução que apele ao seu público e transmita o significado do texto original de forma natural.

Nem é preciso lembrar que mesmo as aplicações mais sofisticadas de tradução automática não serão capazes de apresentar estas competências num futuro próximo.

Adoro as minhas línguas de trabalho

A língua não é algo que uma pessoa possa aprender e “possuir” – tem de ser estimada, mantida e temos de cuidar conta dela. As línguas estão em mudança permanente – as expressões que há uma década eram corriqueiras entretanto extinguiram-se e há palavras novas que se vão desenvolvendo com as novas tecnologias. Para que um tradutor consiga manter a fluência na sua língua de partida, tem de continuar a interagir nessa língua regularmente. As visitas aos países da língua de partida, combinadas com uma leitura abrangente de materiais muito diversos, tanto nas línguas de partida como na língua de chegada, permitem ao tradutor profissional manter-se alerta às alterações nas matizes da língua, ajudando igualmente a manter uma fluência cultural que ultrapassa as capacidades linguísticas que podem ser adquiridas num ambiente escolástico.

Quando estiver a trabalhar para si, colocar-lhe-ei perguntas

A informação constante do texto de partida nem sempre é clara – por vezes um texto poderia estar inserido num contexto mais alargado, as imagens podem estar omissas ou o tópico pode ser de grande especificidade e complexidade. Ao mais leve sinal de ambiguidade no seu documento, irei colocar-lhe questões sobre ele.

Pode parecer que estou simplesmente a ser aborrecida, mas acredite, só os maus tradutores é que fingem saber tudo – partem simplesmente do princípio de que na sua área de atividade, uma determinada palavra tem um certo significado, ou limitar-se-ão a adivinhar o contexto que está em falta. Nem vale a pena dizer que os resultados podem ser desastrosos.

O que mais está incluído neste pacote?

 

Aprendizagem ao longo da vida

Desenvolvi as minhas capacidades ao viajar por vários países europeus e adquiri experiência numa série de áreas diferentes, como agricultura, turismo, mecânica e tecnologia. Ao gerir a minha empresa, Artemosaic, que produz réplicas de mosaicos romanos, as minhas atividades ajudaram-me a adquirir conhecimentos de História, arqueologia, História da Arte, bem como geologia, mineralogia e a engenharia e tecnologia envolvidas na mineração e tratamento da pedra.

Neste momento tenho um interesse corrente em robótica e quadricópteros e para além de construir e programar as minhas próprias máquinas, estou regularmente inscrita em MOOC sobre robots com autonomia de voo, teoria de controlo e outros tópicos de engenharia computacional.
Outros tópicos pelos quais tenho um certo fascínio são a filosofia política, matemática, estatística, pedagogia, psicologia, otimização automática, equitação, karaté, moda…

Considero-me uma aluna eterna – constantemente à procura de melhorar o meu conhecimento tecnológico, bem como as minhas capacidades de escrita, acredito que todos os tópicos devem ser explorados com entusiasmo e que nunca se pode ter demasiada mestria. Fico a aguardar com expectativa a oportunidade de podermos trabalhar em conjunto!